0% eu não aguento

O governo negou 2% de reajuste aos servidores municipais de Araucária na mesa de negociação com os sindicatos na tarde desta sexta-feira (22). É isso mesmo! Aqueles que estão na linha de frente do combate à Covid-19, seja na assistência, na saúde ou na segurança, e aqueles que se desdobram, mesmo em trabalho remoto, para garantir que os estudantes da rede pública sofram menos com o ensino à distância recebem o descaso da administração municipal.

Mesmo sem dados precisos, o governo afirmou que não há orçamento para conceder nem a reposição da inflação nos salários dos servidores e nem o reajuste do vale alimentação. Nós sabemos que os recursos existem, o que falta é que o serviço público seja prioridade para a gestão. Por isso, vamos precisar intensificar a mobilização nos locais de trabalho e cobrar a Prefeitura para que os servidores que têm se desdobrado durante a pandemia recebam aquilo que lhes é de direito.

O possível aumento da alíquota do Fundo de Previdência Municipal de Araucária, de 11% para 14%, também deveria ter sido discutido nesta reunião, mas o governo preferiu adiar para a próxima reunião, que deve acontecer no dia 18 de junho.

Sem o reajuste e com o aumento da alíquota do FPMA, os servidores de Araucária podem enfrentar uma séria redução salarial, algo que é grave por si só e piora ainda mais no cenário de crise que estamos vivendo.

É preciso ser firme nessa hora! O SIFAR enviou um malote para os locais de trabalho, com adesivos e materiais. Reúna seus colegas, produza cartazes, tire fotos e nos envie. É hora de intensificar a luta nos locais de trabalho. Firmes!

RECEBA NOSSO INFORMATIVO



Acompanhe nossas redes sociais