Um basta ao extermínio dos que lutam por terra e liberdade

Na noite do último dia 30 de abril, véspera do Dia do Trabalhador, o professor Lindolfo Komaski foi brutalmente assassinado no município de São João do Triunfo/PR.

Lindolfo tinha 25 anos, era gay, trabalhava como educador do campo e contribuía com a luta dos pequenos agricultores da região. Entre 2014 e 2019, foi estudante do Curso de Licenciatura em Educação do Campo, desenvolvido em parceria entre a Universidade Federal do Paraná e a Escola Latino-Americana de Agroecologia (ELAA) no Assentamento Contestado na Lapa-PR. Lindolfo cursava o mestrado no Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e em Matemática na UFPR e lecionava na escola pública.

Há indícios de que o assassinato foi um crime de homofobia. Ele foi brutalmente assassinado com dois tiros e teve seu corpo carbonizado.

O SISMMAC e o SISMUC expressam sua solidariedade aos amigos e familiares de Lindolfo e reafirmam também seu compromisso com a luta em defesa da diversidade e contra todas as formas de intolerância. Também somamos força na cobrança pela investigação e punição dos responsáveis pelo crime.

A morte de Lindolfo tira do nosso meio um defensor da educação pública de qualidade, comprometido com a luta por uma educação do campo que realmente atenda às demandas das comunidades e com a defesa da escola como espaço de respeito à diversidade e à pluralidade de ideias. Sua memória seguirá inspirando nossa luta pela construção de uma sociedade mais justa, livre de toda forma de preconceito e a exploração.

RECEBA NOSSO INFORMATIVO



Acompanhe nossas redes sociais